Paroisses
 
en de pt fr

História da Igreja Episcopal

A parte mais antiga da Catedral Luxemburgo deve a sua origem ao antigo Colégio dos Jesuítas, com o qual forma, ainda hoje, uma única entidade arquitectónica. Os jesuítas estabeleceram-se de forma permanente no Luxemburgo em 1594, e abriram uma escola em 1603.


Em 1621 terminam as obras na capela do colégio. Durante o reinado da imperatriz Maria Theresa, dos Países Baixos austríacos, de que fazia parte do Ducado do Luxemburgo, a capela foi transformada, em 1778, em igreja paroquial, com o título de “São Nicolas e Santa Teresa”.

A 31 de Março de 1844, sob o comando do vigário apostólico Jean-Théodore Laurent, a igreja paroquial recebe o título de “Igreja de Nossa Senhora”. A 17 de Junho de 1870, o Papa Pio IX eleva o Vicariato Apostólico do Luxemburgo a Diocese, e nessa altura a igreja paroquial toma o título de catedral.

Entre 1935 e 1938 a Catedral foi submetida a obras de ampliação. A última restauração interior data de 1977-1978. Os belos vitrais do artista francês Louis Barillet iluminam o altar. Os planos para a parte antiga foram desenvolvidos pelo irmão jesuíta Jean Blocq de Tournai, os da expansão pelo arquitecto luxemburguês Hubert Schumacher com a colaboração do cónego Léon Lommel.

Desde 1794, que as paredes da Catedral abrigam a imagem da Nossa Senhora Consoladora dos Aflitos, Padroeira da Cidade de Luxemburgo e do Grão-Ducado, cuja adoração remonta a 1624. Até 1794, nas vésperas da entrada das tropas revolucionárias francesas no Luxemburgo, a imagem estava guardada numa capela privada, em frente às fortificações da cidade. A imagem da Consoladora dos Aflitos, colocada na parte de trás do altar, está vestida, de acordo com uma tradição praticada no cristianismo ocidental, desde o final da Idade Média . As tradições e a riqueza da história do Grão-Ducado estão reflectidas na arquitectura do monumento, e por isso a Catedral de Notre Dame está profundamente enraizada na vida da cidade e do país. Como igreja de peregrinação, e que está na origem da imagem da Consoladora dos Aflitos, que há mais de 300 anos é a santa padroeira do Luxemburgo, a Catedral confunde-se com história do povo de Luxemburgo, história essa que, muitas vezes, decorreu na Catedral, diante da imagem da Consoladora dos Aflitos.

A “Octave” peregrinação anual a Nossa Senhora do Luxemburgo Consoladora dos Aflitos é celebrada todos os anos, do 3º ao 5º domingo do tempo da Páscoa.

 
Service Kommunikatioun a Press - Äerzbistum Lëtzebuerg - Dateschutz - Impressum - © Verschidde Rechter reservéiert